24
Oct

Com a descida das temperaturas e a chegada do Outono, é frequente surgirem dúvidas sobre como climatizar a piscina de forma eficiente. Quando é preferível escolher um aquecedor eléctrico e em que momento escolher uma bomba de calor? De que forma podemos conservar o calor com uma cobertura? Ajudamo-lo a conhecer os sistemas básicos para começar a preparar a sua piscina para os dias mais frios. Imagina-se a nadar em água morna à noite ou se estiver a nevar?

Bombas de calor

As bombas de calor com tecnologia Inverter destacam-se pela sua capacidade de aquecer a água de forma silenciosa, conseguindo um menor consumo energético. Os últimos modelos, como as bombas de calor AstralPool Pro Elyo Inverboost NN, são bastante recomendadas para aquecer a água das piscinas residenciais atingindo um menor consumo de energia.

A sua classificação energética “A” torna-a a na bomba de calor mais eficiente do mercado porque economiza até 33%, em comparação com uma bomba standard de classe “C”. Isto é possível porque a tecnologia Inverter varia automaticamente a potência, adaptando-se às condições atmosféricas externas e permite que a bomba de calor trabalhe sempre num ponto óptimo.  Nesta linha, o sistema Soft Start consegue evitar pontos de tensão no arranque do compressor.

As bombas de calor AstralPool Pro Elyo Inverboost NN permitem ligar-se à plataforma Fluidra Connect, através do protocolo de ligação Modbus e estão especialmente desenhadas para obter os melhores rendimentos nas condições climatéricas mais adversas.

Painéis solares

Os painéis solares permitem aproveitar ao máximo os recursos energéticos naturais. São, sem dúvida, a opção mais sustentável e ecológica para aquecer a água. No entanto, o clima onde se encontra a piscina condicionará a decisão se este será o melhor sistema. Os colectores solares podem ser colocados em qualquer zona, preferencialmente perto da piscina, na própria cobertura ou numa zona sem sombra e que receba uma grande quantidade de luz solar.

Aquecedores eléctricos

Os aquecedores eléctricos trabalham utilizando o efeito Joule, são discretos e eficazes para piscinas de menor dimensão, permitindo economizar o espaço e simplificar o sistema de climatização de água. A sua instalação é simples; são colocados no circuito de filtração da piscina e conseguem aquecer a água da piscina num período de 2 a 5 dias. O custo de manutenção é um pouco mais elevado do que as outras opções e é recomendado para utilização na faixa horária mais económica, segundo as tarifas da empresa fornecedora de electricidade.

Coberturas

Além de ser um elemento de segurança, as coberturas protegem a piscina e mantêm a temperatura da água evitando que o calor acumulado seja perdido durante a noite. As coberturas com enroladores manuais ou motorizados favorecem a poupança de água e reduzem a perdida de calor da água da piscina. Além disso, fazem com que os productos químicos para o tratamento de água não se evaporem de forma prematura. Sabia que estes sistemas podem ajudar a reduzir o consumo de energía até 50%?

Desumidificadores

Os desumidificadores conseguem eliminar o ar húmido e frio, mantendo o ar seco e quente. Além disso, favorecem o trabalho das bombas de calor, minimizando o seu consumo energético e utilizando a tecnologia mais silenciosa.

Permutadores de calor

Esta solução é conveniente se a piscina não se encontra longe da casa. Os permutadores de calor colocam-se na instalação da caldeira de casa, desde que tenha sido projectado para suportar este sistema. Desta forma, a água da piscina é  aquecida por esta caldeira através de dois circuitos independentes. Se tivermos  uma caldeira eficiente, alcançaremos um aumento na temperatura da piscina num período de 2 dias.

Se tem alguma dúvida sobre qual é a melhor forma de climatizar a piscinas, não hesite em contactar-nos!